• 28 de fevereiro de 2024

Seminário do SintraSuper aponta boa perspectiva para campanha salarial

Dirigentes do SintraSuper iniciaram, nesta sexta (27), o seminário anual de planejamento das ações e, especialmente, da Campanha Salarial 2023. O evento conduzido pela secretária de Formação Sindical, Dalva Leite, acontece até domingo, no Clube dos Sindicato dos Hoteleiros, em Stella Maris. Teve na abertura a presença de dirigentes dos sindicatos de comerciários de Salvador e Lauro de Freitas, além dos palestrantes professor José Geraldo, da CONTEE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino), e Ana Georgina, supervisora técnica do Dieese.

Ao saudar os participantes e convidados, a presidenta do SintraSuper, Rosa de Souza lembrou que as categorias tiveram que que abrir mão de direitos para fechar as convenções coletivas. “Mas, em Salvador, conseguimos impedir isso. No encontro do presidente Lula com o movimento sindical, ele deixou claro a importância do papel social do sindicalismo e sua capacidade de mobilização da sociedade para ajudar o governo a avançar nas mudanças”, afirmou.

Rosa destacou que o seminário. “É muito importante para organizar as lutas da categoria e nossa campanha salarial. O movimento sindical terá um papel muito importante no novo cenário politico da Bahia e do Brasil, organizando e politizando as trabalhadoras e os trabalhadores”, enfatizou.

Segundo o presidente dos Comerciários, Renato Ezequiel, é importante ocupar as ruas. “E lutar pela revogação das reformas e reforçar os sindicatos para que possam vencer os desafios em curso e garantir os direitos conquistados”, disse. O presidente dos Comerciário de Lauro de Freitas, José Carlos “Guri” falou da necessidade de lutas unificadas da categoria comerciária na Bahia. “Assim, poderemos pressionar mais as negociações e assinar boas convenções coletivas”, ponderou.

CENÁRIO

Ao falar da conjuntura política, José Geraldo destacou que saímos de uma situação de ataques aos direitos sociais e trabalhistas para um cenário melhor com Lula na Presidência. “O momento é de pressão da classe trabalhadora e a bandeira de luta deve ser a da revogação da reforma trabalhista, de forma pontual. Mesmo com a CLT tendo sofrido mais de três mil alterações, ainda resguarda os direitos trabalhistas”, pontuou.

O professor enfatizou que é importante fortalecer os sindicatos para reverter perdas nas negociações e assegurar direitos para suas categorias. “A classe trabalhadora brasileira precisa botar pressão, pois algumas mudanças podem demorar, pois a direita tem maioria na no Congresso Nacional. É ir para as ruas”, defendeu.

ECONOMIA

A economista Ana Georgina apresentou dados positivos da economia que podem ser trabalhado na campanha salarial. “O mercado e o mundo estão com boas expectativas quanto ao governo Lula, especialmente quanto a retomada de crescimento da economia. A ideia de retomar grandes obras é muito positiva para termos crescimento econômico”, ponderou.

Georgina mostrou que, mesmo em um cenário ainda difícil, o setor de supermercados tem conseguido se sair bem. “Entre novembro de 2021 e novembro de 2022, o setor cresceu seu volume de vendas 1,1%. A receita nominal de vendas aumentou 14,8%, entre janeiro e novembro do ano passado. É importante destacar que houve aumento no faturamento, especialmente por conta dos aumentos de preços”,

Segundo a supervisora do Dieese, as negociações vão se dar sob boas condições dos supermercados. “Os empresários já sabem que reajustar salários, com ganho real, ajuda o comércio e, em especial, o setor supermercadista. O consumo das famílias representa 60% do nosso PIB (toda riqueza produzida). Assim, o reajuste concedido volta em compras nas lojas, dinamizando a nossa economia”, destacou.

Post Anterior

Diretora do SintraSuper fala sobre preocupação dos funcionários da Americanas

Próximo Post

Ao planejar campanha, SintraSuper debate desafios dos trabalhadores